João Tancredo



Leilão de cartas de Olga Benário a Prestes pode parar na Justiça

E-mail Imprimir

Arquivo do Estado do Rio e filha de líder comunista vão pedir a suspensão da venda; lance mínimo é de R$ 320 mil

Por Juliana Dal Piva – O Globo 

RIO — O leilão de um conjunto de 319 cartas endereçadas ao líder comunista Luís Carlos Prestes pode gerar uma batalha na Justiça. O Arquivo Público do Estado do Rio e a filha de Prestes, Anita Leocádia Prestes, pretendem impedir que o lote com as correspondências — de Olga Benário (mulher do líder comunista), de Anita e da mãe de Prestes, Leocádia — vá a leilão na próxima quinta-feira.

O arquivo quer que o material passe por um inventário e por uma investigação de autenticidade. No entanto, Soraia Cals, responsável pelo pregão, diz que a venda está mantida, e o lance mínimo é de R$ 320 mil no lote. 

— Nós vamos tomar medidas legais cabíveis para impedir o leilão (das cartas). Queremos que se faça um inventário e uma investigação que comprove a autenticidade dos documentos. Só olhei dois documentos de 319. Aparentemente, como leiga, parecem ser originais. Mas precisa passar por uma investigação — disse Maria Teresa Villela Bandeira de Mello, diretora do Arquivo Público do Estado do Rio. 

No domingo, reportagem do GLOBO revelou a existência das cartas que vão à leilão e como, de modo ainda desconhecido, foram achadas no lixo de Copacabana. Posteriormente o material foi revendido ao comerciante Carlos Otávio Gouvêa Faria, por um valor não divulgado. 

Maria Teresa disse acreditar que a documentação pertenceu, em algum momento, ao acervo da antiga Polícia Política. A pesquisa viu na documentação que vai à leilão carimbos e marcações típicas do conjunto de pouco mais de 500 documentos que já integram o acervo de Prestes e Anita. Ela afirmou que esse acervo, disponível para consulta desde 1999, está integral.

—Naquela época, nos anos 1930, se fazia cópias manuscritas de documentos. Sei que temos algumas cópias, mas não sei dizer o que seria cópia desses documentos que estão lá. É preciso fazer um cruzamento (de dados) — disse. 

Reserva de direito 

O advogado de Anita Leocádia Prestes, João Tancredo, diz que a filha do líder comunista também pretende brigar na Justiça para que o acervo não vá a leilão. Segundo ele, Anita afirma que as cartas que estão no lote foram entregues por ela ao Arquivo do Estado do Rio. 

— A Anita diz que o que está indo à leilão é o material entregue por ela ao arquivo — afirma Tancredo.  Responsável pelo leilão, Soraia Cals disse que não é possível impedir a venda do lote. 

— Não tem condições de adiar. Existe uma coisa chamada venda sob reserva de direito. Você vende e não entrega. Só entrega quando se comprova a propriedade — explicou Soraia, que nega a existência de carimbos. Ela diz que as cartas têm apenas marcações. 

— O que há são algumas numerações de alguns lugares. Isso deve ter passado em algum lugar público. Agora, de quem é, ninguém sabe. O arquivo não pode dizer que é dele porque ele não tem como provar.