João Tancredo



Banco vai ter que indenizar família de dona do Guimas

E-mail Imprimir

Empresária foi morta durante um assalto, em 2014, após sacar R$ 12 mil

Por O Globo 

RIO - A Justiça condenou o Bradesco a indenizar a família de Maria Cristina Bettencourt Mascarenhas, uma das sócias do restaurante Guimas, em cerca de R$ 570 mil. A empresária, conhecida como Timtim, foi morta durante um assalto, em 2014, logo após sacar R$ 12 mil em uma agência bancária na Gávea. A desembargadora Sandra Santarém Cardinali, da 26ª Câmara Cível do Rio de Janeiro, considerou que houve falha na segurança da agência, como informou a coluna de Marina Caruso no GLOBO nesta terça-feira.

Além da indenização por danos morais, concedida às três filhas, duas irmãs e duas netas de Timtim, a Justiça determinou ainda o pagamento de uma pensão para o marido da vítima. 

Filha caçula de Tintim, Isabel Mascarenhas diz que a condenação do banco é importante. 

— Acho que é pouco (o valor da indenização ) para o tamanho da perda que a gente teve. O banco ter sido declarado culpado é o aspecto mais importante. No dia seguinte à morte, eles mudaram o esquema de segurança da agência. Minha mãe tinha informado com antecedência que faria o saque, mas, quando chegou lá, o dinheiro não estava separado. Não a levaram para uma área especial para receber a quantia. Foi um erro em todo o procedimento de segurança — diz. 

A assessoria do Bradesco informou que a decisão está sub judice e não informou se recorrerá.